Ainda não se sabe qual é a motivação do criminoso, que ameaça colocar fogo no veículo. A PM afirmou às 8h que havia 16 pessoas reféns; seis já foram soltas.


Um homem armado e com gasolina faz reféns dentro de um ônibus desde as 5h25 desta terça-feira (20). Desde as 6h, o coletivo está parado na Ponte Rio-Niterói.

Às 8h21, havia 16 pessoas reféns, segundo a PM. Seis já foram soltas.

O trânsito para o Rio está fechado desde as 6h. Às 7h20, também foi interditada a pista oposta.

Não se sabe a motivação do sequestrador, mas a PM considera que a ação foi premeditada. Ele afirma ter um revólver, uma pistola de choque e o combustível.

Resumo

  • O sequestro foi anunciado às 5h26; pouco antes das 6h, o ônibus foi atravessado na pista sentido Rio da Ponte;
  • O criminoso está armado e ameaça incendiar o veículo;
  • Seis pessoas foram liberadas, quatro mulheres – uma delas desmaiada – e dois homens;
  • A PM afirma que 22 pessoas estavam a bordo;
  • O ônibus, da Viação Galo Branco, faz a linha 2520 (Jardim de Alcântara-Estácio).

Fliess afirmou também que a PM analisa a hipótese de o sequestro do veículo ter sido premeditado. Segundo informações dos policiais militares que estão no local, o homem parece desorientado.

O criminoso se identificou como PM, mas a informação ainda não foi confirmada.

Esta linha sai do Jardim Alcântara, em São Gonçalo, na Região Metropolitana, e vai até o Estácio, na região central do Rio. Ela é a única linha que cobre os bairros do Rocha, Columbandê, Lindo Parque e Galo Branco em direção ao Rio.

Mulher de refém relata drama

A esposa de um dos reféns contou ao vivo no Bom Dia Rio que o marido lhe avisou do sequestro.

“Sempre roubam carteira e celular, mas esse tipo de coisa nunca aconteceu”, destacou Eliziane Terra.

“Ele saiu para trabalhar 4h30. Quando foi por volta de 5h26 ele me mandou uma mensagem dizendo que o ônibus estava sendo sequestrado, ‘estamos indo para a ponte’. A princípio eu pensei que era um assalto. Eu levantei, acordei o meu filho e disse: ‘seu pai está sendo assaltado’”, revelou.

Linha do tempo

  • Às 6h19, a primeira refém foi liberada.
  • Às 6h31, um homem com uma máscara jogou algo pegando fogo para fora.
  • Às 6h38, a segunda passageira foi liberada do veículo. Mais cedo, outra mulher havia saído do veículo.
  • Às 6h53, negociadores do Batalhão de Operações Especiais (Bope) chegaram ao local para ajudar no diálogo com o sequestrador do ônibus, segundo informações de Mauro Fliess, porta-voz da Polícia Militar.
  • Às 7h04, um homem saiu de dentro do veículo e chegou a ser revistado.
  • Às 7h20, a terceira mulher foi solta.
  • Às 7h45, o suposto sequestrador desceu do ônibus, disse algo aos negociadores e voltou ao coletivo.
  • Às 7h50, o Batalhão de Operações Especiais assumiu as negociações.
  • Às 7h58, um segundo homem foi libertado.
  • Às 8h06, o sequestrador jogou uma caixa para fora do ônibus.
  • Às 8h20, a quarta mulher foi liberada. Ela estava desmaiada.
  • Às 8h30, uma reversível foi montada para quem estava preso na Ponte pudesse retornar.

Aumento no número de roubos

O número de assaltos a ônibus cresceu 21,6% no Estado do Rio de Janeiro. Do início ano a abril, houve mais de 5,8 mil casos. Em média, o resultado significa um assalto a cada 30 minutos.

No Município do Rio, foram mais de 3,8 mil roubos em ônibus no período, um aumento de 40% em comparação aos quatro primeiros meses de 2018.

No Centro da cidade, na área coberta pela delegacia da Rua Mem de Sá, o número subiu de 32, de janeiro a abril do ano passado, para 161, no mesmo período deste ano, o que representa um aumento de 400% nas ocorrências.

Na área da Praça Mauá, o aumento foi de mais de 300% no mesmo período. E na região da Penha, na Zona Norte do Rio, de 250%.

Fonte:G1 Rio