URGENTE” mulher que acusa Neymar de estupro fala pela primeira vez em entrevista ao reporte Roberto Cabrini do Conexão Repórter do SBT. VEJA O VIDÉO NA MATERIA ABAIXO. 

A mulher que acusou o atacante Neymar de abuso sexual reafirmou nesta quarta-feira (5) ter sido vítima de agressão e de estupro no quarto do hotel em que esteve com o jogador, em Paris. “Eu fui vítima de estupro. Agressão juntamente com estupro”, disse, em entrevista ao SBT.

É a primeira declaração pública da suposta vítima desde que o caso veio à tona. Ela contou ter feito contato com Neymar por meio de redes sociais, até que apareceu o convite para ir à capital francesa encontrá-lo.

“Eu conversei com ele com intuito sexual. Era um desejo meu. Ficou até claro para ele isso. Ele perguntou quando eu poderia ir. Eu disse: ‘No momento, não posso, por questões financeiras’. Não poderia ir. Também por agenda do meu trabalho. E daí ele sugeriu: ‘Eu posso resolver isso'”, afirmou.

O caso foi divulgado no último sábado (1º), após vazamento do boletim de ocorrência da Polícia Civil. No mesmo dia, o jogador se pronunciou por meio de um vídeo publicado em seu Instagram. Na postagem- posteriormente retirada do ar pela rede social-, o camisa 10 da seleção brasileira se defendeu da acusação e expôs as conversas com a suposta vítima. Foram exibidas imagens da mulher nua e seminua -com o rosto e partes íntimas borradas.

Após a divulgação das imagens, a Polícia Civil foi até a Granja Comary no domingo (2) buscar explicações do atleta por ter, no vídeo, exposto imagens íntimas da mulher. O jogador ainda não havia voltado de um período de folga, concedido a todo o elenco, e não foi ouvido pelos policiais.

Na segunda (3), a polícia retornou ao centro de treinamento da seleção. Ficou acertado que o jogador iria falar com as autoridades nesta semana. A Delegacia de Repressão a Crimes de Informática da Polícia Civil do Rio de Janeiro agendou para a próxima sexta-feira (7) o depoimento do atacante Neymar.

A acusação gerou tensão entre os patrocinadores de Neymar. A Nike, por exemplo, já demonstrou preocupação, assim como a Mastercard.

Fonte: FOLHAPRESS

Fotos do Google