_Prefeito e a primeira-dama Ringlasia, presos na Operação Bacuri, do Gaeco

– Um mecânico recebeu R$ 21 mil em diárias em 2017

“DIÁRIAS EXCESSIVAS”

O prefeito afastado de Bertolínia, preso na Operação Bacuri, deflagrada pelo GAECO,  também é suspeito de ter feito uma farra com diárias no município usando recursos públicos. Ao todo, foram gastos exatos R$ 502.198,00 só no ano de 2017. A informação consta de um relatório de fiscalização do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Só o gestor, no ano de 2017, deu a si mesmo 147 diárias. Os auditores ressaltam que “dos 251  dias úteis do ano (não considerados feriados municipais) o Sr. Prefeito Municipal ficou ausente do município 146 dias, permanecendo na sede apenas 105 dias úteis no ano”.

Os auditores também ressaltam que analisando a tabela que segue logo abaixo, “verifica-se que os valores das diárias em alguns casos ultrapassam os valores pagos a título de salário/subsídio e em outros, superam 50%”. Um mecânico, o senhor Rodrigo de Sousa Pereira chegou a receber R$ 21 mil em diárias, mais do que o próprio salário/subsídio recebido.

A mãe do prefeito, Eliane Maria Alves da Fonseca, também recebeu mais diárias do que o subsídio/salário.

jjjj
_Informações extraídas de relatório do Tribunal de Contas

Os auditores do Tribunal de Contas do Estado do Piauí também ressaltaram o fato de que o caso acima ocorre “notadamente no que diz respeito ao Sr. Prefeito Municipal, que ao longo dos exercícios (2014, 2015 e 2016) vem recebendo valores atribuídos a diárias acima dos recebidos com os subsídios, como pode ser constatado na tabela a seguir”.

 

DESCONTROLE DOS GASTOS COM DINHEIRO PÚBLICO

Tais gastos com diárias sugerem o descontrole dos gastos públicos no município de Bertolínia nos últimos anos.

Os achados das prestações de contas da gestão que comanda o município de Bertolínia desde o ano de 2013 começaram a despertar a atenção de autoridades da rede de controle há muito tempo, além, claro, de denúncias que sempre rondavam os exercícios findos do prefeito Luciano Fonseca, do PT.

Acabou por culminar nas recentes prisões.

CONFIRA AINDA:_____________

Confira como agiam o prefeito e seus familiares, presos em operação do Gaeco

O prefeito Luciano Fonseca (PT), do município de Bertolínia, Sul do Piauí, e familiares, foram presos na manhã desta terça-feira (03/12) durante a operação ‘Bacuri’, do Grupo de Atuação Especial de Repreensão ao Crime Organizado (GAECO).

Foi dado cumprimento a mandados de prisão expedidos pelo Tribunal de Justiça do Piauí,  além de busca e apreensão nos municípios de Bertolínia, Sebastião Leal e Teresina.

Além do prefeito Luciano Fonseca, que foi alvo de um mandado de prisão preventiva, são alvos de mandados de prisão temporária:

  • Ringlasia Lino Pereira dos Santos (esposa do prefeito);
  • Eliane Maria Alves da Fonseca (mãe do prefeito);
  • Richel Sousa e Silva (primo do prefeito);
  • Aluízio José de Sousa (pai do prefeito);
  • Max Weslen Veloso de Moraes Pires (procurador do município);
  • Rodrigo de Sousa Pereira (assessor especial do prefeito);
  • Ronaldo Almeida da Fonseca (comissionado);
  • Kairon Tácio Rodrigues Veloso (primo do procurador do município).

Confira a participação de cada um

Luciano Fonseca – prefeito
É apontado como líder da organização criminosa. O prefeito petista está no seu segundo mandato e nomeou os parentes mais próximos para cargos na prefeitura para que pudesse realizar os esquemas de desvio de dinheiro público. O gestor já responde ações na justiça por uma série de irregularidades praticadas no mandato.

Prefeito Luciano Fonseca
Prefeito Luciano Fonseca 

Ringlasia Lino Pereira dos Santos – primeira-dama
A esposa do prefeito já ocupou algumas secretarias da administração municipal durante os quase sete anos de mandato do prefeito. Com livre acesso às contas do município, teria recebidos valores altos em sua conta como parte do esquema de desvio de verbas.

Prefeito e a primeira-dama Ringlasia 
Prefeito e a primeira-dama Ringlasia  

Eliane Maria Alves da Fonseca – mãe do prefeito
Atual secretária de Saúde da cidade, movimentou mais de R$ 5 milhões na sua conta desde 2013, quando seu filho assumiu a cidade. Ela também está envolvida no desvio de uma ambulância para pagar uma dívida de outro filho.

Eliane Maria Alves da Fonseca, mãe do prefeito
Eliane Maria Alves da Fonseca, mãe do prefeito 

Aluízio José de Sousa – pai do prefeito
Dono de uma farmácia da cidade de Bertolínia, o pai do prefeito recebeu valores vultuosos em contas que foram enviados por empresas de outros envolvidos no esquema.

Richel Sousa e Silva – primo do prefeito
Contratado pela prefeitura para serviços de consultoria e assessoria jurídica, ele recebeu mais de R$ 200 mil. Ele movimentou mais de R$ 7 milhões em suas contas desde que seu primo assumiu o comando da cidade e é sócio de uma das empresas que fazem parte do esquema de desvio de recursos.

Ex-prefeito envolvido
Entre os mandados de busca e apreensão estão os endereços do ex-prefeito de Sebastião Leal, José Jeconias, e de empresas envolvidas no esquema de desvio de dinheiro público por meio de empresas fantasmas, fraude em licitação, lavagem de dinheiro e entrega de uma ambulância do município em pagamento de dívida pessoal do prefeito de Bertolínia.

Desvios aos cofres públicos
A Justiça decretou ainda o sequestro e indisponibilidade dos bens móveis e imóveis dos investigados no valor correspondente à comprovação do desvio aos cofres públicos do município de Bertolínia, no valor de R$ 3.296.323,81.

Suspensão do mandato
Foi determinada ainda a imediata suspensão do exercício da função pública do prefeito de Bertolínia, Luciano Fonseca. A execução dos mandados contou com o apoio da Polícia Civil, incluindo a Delegacia de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (DECCOR), Polícia Militar, Tribunal de Contas do Estado do Piauí (TCE) e PRF.



CLIQUE AQUI PARA CURTIR A FRON PAGE DA MANCHETENET




Fonte:Redação Manchete Net/180 Graus