Foto divulgação

​A frequência cardíaca indica a quantidade de vezes que o coração bate por minuto e o seu valor normal, em adultos, varia entre 60 e 100 bpm. Porém, ela pode variar com a idade, se a pessoa faz alguma atividade física ou se possui alguma doença cardíaca.

Basicamente quanto mais esforço o coração precisa fazer para mandar o sangue para o corpo, maior será seu esforço e consequentemente, maior será a frequência cardíaca dessa pessoa. E quanto mais eficiente for cada batida do coração, menor será a frequência cardíaca, por isso o ideal é que os batimentos cardíacos sejam sempre mais baixos, mas não tão baixos que não permitam que o sangue chegue a todo corpo, por isso existe uma taxa ideal que varia conforme a idade:

  • Até 2 anos de idade: 120 a 140 bpm,
  • Entre 8 anos até 17 anos: 80 a 100 bpm,
  • Adulto sedentário: 70 a 80 bpm,
  • Adulto que faz atividade física e idosos: 50 a 60 bpm.

Apesar do batimento cardíaco normal ser de até 100 bpm, numa taquicardia, o coração pode bater até 400 vezes por minuto, sendo uma situação de risco.

O batimento cardíaco é um importante indicador do estado de saúde mas veja outros parâmetros que podem indicar como está sua saúde: Como saber se estou bem de saúde.

Valores da frequência cardíaca normal, alta e baixa

Tabela da frequência cardíaca normal

A seguinte tabela mostra a frequência cardíaca normal para homens em repouso:

Idade 18-25 anos  26-35 anos 36-45 anos 46-55 anos 56-65 anos +65 anos
Excelente 56-61  55-61 57-62 58-63 57-61 56-61
Boa 62-65 62-65 63-66 64-67 62-67 62-65
Normal 70-73 71-74 71-75 72-76 72-75 70-73
Menos boa 74-81 75-81 76-82 77-83 76-81 74-79
Ruim +82 +82 +83 +84 +82 +80

Já está tabela, mostra a frequência cardíaca normal para mulheres em repouso:

Idade  18-25 anos 26-35 anos 36-45 anos 46-55 anos 56-65 anos +65 anos
Excelente 61-65 60-64 60-64 61-65 60-64 60-64
Boa 66-69 65-68 65-69 66-69 65-68 65-68
Normal 74-78 73-76 74-78 74-77 74-77 73-76
Menos boa 79-84 77-82 79-84 78-83 78-83 77-84
Ruim +85 +83 +85 +84 +84 +84

Se a frequência estiver acima dos valores mostrados na tabela, deve-se praticar exercícios regularmente porque isto melhora a capacidade cardíaca e assim o coração consegue bombear a mesma quantidade de sangue, com menos esforço, o que naturalmente diminui a frequência cardíaca em repouso.

Como medir a frequência cardíaca

Para medir, pode-se colocar o dedo indicador e médio na parte lateral do pescoço, onde se sente os batimentos cardíacos e contar quantas pulsações se percebe durante 1 minuto. O cálculo também pode ser feito contando os batimentos até 15 segundos e multiplicando o resultado por 4. Outra forma mais fidedigna é utilizar um pequeno aparelho chamado frequencímetro que se coloca no dedo, ou usar relógios especiais que medem a FC. Estes produtos podem ser comprados em lojas de produtos médico hospitalares ou de esporte.

O que altera a frequência cardíaca

Os principais fatores que alteram a frequência cardíaca estão citados a seguir:

  • Acima de 100 bpm:

Nem sempre o aumento das batidas do coração é causado por alguma situação preocupante. O coração pode ficar batendo mais forte ou acelerado em situações do dia a dia como:

  • Diante de fortes emoções;
  • Ataque de pânico ou ansiedade;
  • Durante a relação sexual;
  • Quando há febre;
  • Durante a prática de exercícios;
  • Ao fazer algum esforço;
  • Devido ao uso de medicamentos;
  • Quando a pressão está alta,
  • Devido a ingestão de grandes quantidades de álcool ou cafeína;
  • Quando existe alguma doença cardíaca, como insuficiência cardíaca ou doença cardíaca valvar, assim como de outras doenças como aterosclerose ou hipertensão.

Quando a pressão está alta, acima de 140 x 90 mmHg, há taquicardia e se a pressão continuar subindo, existe risco de infarto. Os sintomas que podem indicar que a pessoa está tendo ou pode ter um infarto incluem dor no peito ou no braço, sensação de má digestão, tontura e suor frio. Se a pessoa apresentar estes sintomas deve-se ir ao pronto-socorro ou chamar uma ambulância.

Se a pessoa apresentar esse aumento da frequência cardíaca mais de 3 vezes por semana, mesmo quando encontra-se em repouso, sem fazer nenhum esforço, e sem nenhuma das situações acima, deve ir ao cardiologista para fazer exames ao coração, identificar a causa e iniciar o tratamento, se necessário.

  • Abaixo de 60 bpm:

O batimento cardíaco inferior a 60 batimentos por minuto, pode ocorrer devido ao envelhecimento ou ser apenas um efeito colateral de certos medicamentos para o coração, por exemplo. Porém, a FC baixa também pode indicar problemas cardíacos como bloqueio cardíaco ou disfunção do nódulo sinusal, principalmente se for acompanhada de tonturas, cansaço ou falta de ar. Assim, se a pessoa estiver com o batimento cardíaco fraco, deve consultar um cardiologista para fazer exames ao coração, identificar a causa e iniciar o tratamento, se necessário.

Valores da frequência cardíaca normal, alta e baixa

Como normalizar a frequência cardíaca

Se a frequência cardíaca estiver muito alta, e o indivíduo sentir o coração acelerado, o que pode fazer para tentar normalizar as batidas no coração naquele momento é:

  • Ficar em pé e agachar um pouco apoiando as mãos nas pernas e tossir com força 5 vezes seguidas;
  • Respirar fundo e soltar o ar lentamente pela boca, como se estivesse apagando suavemente uma vela;
  • Fazer uma contagem decrescente, de 20 até zero, tentando se acalmar.

Dessa forma o batimento cardíaco deverá diminuir um pouco, mas se notar que essa taquicardia, como é chamada, acontece de forma frequente, é necessário ir o médico para verificar o que pode estar causando esse aumento e se é preciso fazer algum tratamento.

Mas quando a pessoa mede sua frequência cardíaca em repouso e acha que podia estar mais baixa, a melhor forma de normalizar é fazendo atividade física regularmente. Podem ser caminhadas, corrida, aulas de hidroginástica ou qualquer outra atividade que leve ao condicionamento físico.

Qual é a frequência cardíaca máxima para treinar

A frequência cardíaca máxima varia conforme a idade e o tipo de atividade que a pessoa faz diariamente, mas pode ser verificada realizando o seguinte cálculo matemático: 220 menos a idade (para homens) e 226 menos a idade (para mulheres).

Um adulto jovem pode ter um batimento máximo de 90 e um atleta pode ter uma frequência cardíaca máxima de 55, e isto também está relacionado ao condicionamento físico que o indivíduo possui. O importante é saber que a frequência cardíaca máxima de um indivíduo, pode ser diferente de outro e isto pode não representar nenhum problema de saúde, mas sim, condicionamento físico.

Para emagrecer e, ao mesmo tempo, queimar gordura deve treinar numa faixa de 60-75% da frequência cardíaca máxima, que varia de acordo com o sexo e a idade do indivíduo.

*Com as informações do portal Tua Saúde