Foto Reprodução

O vídeo de um menino, de 9 anos, que implorou aos prantos uma corda para se enforcar depois de sofrer bullying na escola está emocionando pessoas por todo o mundo. (Assista abaixo)

Nas imagens Quaden Bayles, que sofre de nanismo, fala “Me dê uma corda, eu quero me matar. Só quero me esfaquear no coração … quero que alguém me mate”, enquanto sua mãe explica também chorando que ele sofre bullying dos colegas de aula.

Yarraka Bayles, de Brisbane, na Austrália, filmou seu filho depois de pegá-lo na instituição educacional nesta quarta-feira (19) e, segundo ela, só compartilhou nas redes sociais com a esperança que as pessoas se conscientizem  conscientizem seus filhos sobre as consequências do bullying. 

Na publicação ela escreveu: 

“Como pessoa com nanismo, e mãe de uma criança com nanismo isso parte o meu coração em um milhão de pedaços. Isto definitivamente não está bem… Entristece-me que as pessoas com deficiência sejam olhadas e apontadas como diferentes, e temos que aprender a ajustar-nos a este mundo difícil, como se não fosse difícil como é… Escolas e pais precisam fazer o seu trabalho, educando sobre estes tópicos! Precisas de começar a fazer de todas as deficiência um tema de conversa, bem como as diversidade ocorridas”. 

Assista ao vídeo: 

This is the impacts of bullying! I seriously don’t know what else to do! 😭

Posted by Yarraka Bayles on Tuesday, February 18, 2020

Bullying na escola

A mãe não entrou em detalhes sobre o último incidente de bullying, mas disse, anteriormente, que seu filho era chamado de “anão” por seus colegas de classe. Em entrevista à NITV News, ela explicou que os colegas costumam dar tapinhas na cabeça de Quaden como se ele fosse um cachorrinho enquanto falam de sua altura.

Embora tenha recebido um grande apoio, Bayles também foi criticada por compartilhar as imagens do filho desesperado

“Eu lidei com muita reação, pensei duas vezes em excluí-la … mas eu queria que as pessoas percebessem o efeito que o bullying está causando no meu filho. Se eu não me levantar e falar por ele, quem o fará ‘, disse. 

Em 2019, ela contou ao Courier-Mail  que Quaden já havia tentado se matar três anos atrásquando ele tinha apenas seis anos.

“Fiquei tão chocado. Sinceramente, acho que ele nem saberia o que ou como fazer aos seis anos de idade. Eu expliquei a ele que quando você vai, não há volta, você se foi para sempre, mas ele ainda continuou tentando”, disse a mãe.

CLIQUE AQUI PARA CURTIR A FRON PAGE DA MANCHETENET


Fonte:Redação Manchete Net/RicMas